Né?

Neste primeiro post, como me obriga a autoritária politesse que comanda minha vida, sufoca meus sentimentos e aterra minhas pulsões, dia a dia, creio que o mais justo seria que eu me apresentasse, muito educadamente, de forma sucinta e, de preferência, sem incorrer em grosserias ou obscenidades.

Meu nome é Rafael Zanatto, tenho tantos anos, faço nada que preste e sou formado em merda nenhuma. Minhas paixões são: cozinhar, admirar filhotinhos de cachorro por horas a fio em pet shops, e bater punheta.

Quais meus objetivos de vida? Ser famoso, rico milionário, e comer todo mundo. Todo mundo, inclusive você. Se eu já te comi (o que é pouco provável, pois até hoje só mantive relações sexuais com pessoas iletradas) (e com um galo aquela vez) (nem me pergunte como) (ele deu em cima de mim primeiro) (e me pagou bebidas, foi um gentleman) (na medida do possível, levando em consideração que era um galináceo) (mas pelo menos sabia ler), então, se eu já te comi (ou se você já me comeu), ficamos por isso mesmo. Beleza.

O que eu estou fazendo aqui? Não sei.

Qual a maior realização que um ser humano pode fazer? Sei lá, cacete! Desde quando eu sei responder essas coisas?

O que é escrever? Outro dia li um sujeito dizendo que escrever era um monte de coisas lindas, intelectuais, elevadas. Pra mim, escrever é como fazer sexo com um travesti lindo: é lindo, maravilhoso, perfeito.

Ou mais: escrever é como vomitar merda, só que ao invés de ser pela boca, é pelos dedos – o que é bom, pois você não precisa escovar os dentes depois de escrever.

Então, mesmo que nada tenha ficado claro, esta é a minha explicação para todas essas coisas, todos esses mistérios sem sentido que não têm explicação nenhuma, ou que quando alguém começa a explicar você fala “Nossa, que maluco chato” e torce pra que mudem de assunto logo, porque, puta que pariu, ficar discutindo groselha desse calibre enquanto você quer só tomar uma e, sei lá, dar em cima de todas as mulheres que você conhece, e passar só aquela vergonha básica, gastando milhares de reais num bar vagabundo, tomando cerveja quente, pelo amor de Deus, puta que pariu, né?

Né?

7 Comments

Filed under Escrever, Maluco chato, Traveco

7 responses to “Né?

  1. Aline

    Doido da cabeça.

  2. Brisa

    que coisa feia fafá substitui essas palavra de baixo escalão por uns asterísticos assim ó ***** pois todos sabemos que vc é um moço de família delicado

    mil beijos

  3. Anauê rapeize!! Novo blog, nova vida. E nada de ficar falando “soldado”, “cabo”, “estagiário”, “faxineiro”….são de baixo escalão.

    Anauê!

  4. Raul

    Filed Under: Escrever, Maluco chato, Traveco

  5. Mandou bem! Mais uma vez!

    Barça , Barça, Baaarça.!

  6. Pingback: Balanço & Termos Mais Pesquisados « Rafael Zanatto

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s