Los Beatles

Todo mundo gosta de Beatles, né?

NÉ?!

Ah, bom!

AH, BOM!

Tão tá bom. Só vim checar.

Té mais!

Flwwwwwwwww

Vlwwwwwwww

Flwwwwwwwwww

Mentira.

Vamos analisar um pouquinho (quase nada) sobre essa unanimidade que são os Beatles (provavelmente vou acabar falando sobre sexo com travestis, mas, caso eu comece, não tentem me segurar).

NÃO TENTEM ME REPRIMIR!

Bom, vejamos.

Pra começar, pra começar a falar de Beatles, temos que falar obrigatoriamente sobre o Quinto Beatle.

Mentira, que babaquice. Foda-se ele. E foda-se aquele cara que quase foi um beatle também. Fodam-se todos!Alguns beatles também, inclusive.

Mas vamos por partes, muito calmamente, segurando a linha. Porra, cheguei em casa e esqueci de arrumar as compras. Calma aí.

Porra, esqueci de comprar refrigerante. Acreditam? Comprei suco, cerveja e vinho, mas não comprei a porra do refrigerante, que era o que me levou a sair nesta fria tarde de sol pra ir ao supermercado. Que cacete. Todo trabalho em vão.

E, pensando bem, não foi das melhores compras. Comprei também duas barras de chocolate, um bolo, pimenta, extrato de tomate e alguns tomates – um macarrão se insinua, tal e qual o pênis de um travesti bem dotado pela barra de sua saia.

MAS! Vamos ao que interessa: Beatles.

Tendo em vista as milhares de reclamações que recebi após o pobre trabalho gráfico apresentado nos últimos posts, contratei um designer para trabalhar especialmente com as imagens que aqui colocarei. Acredito que o visual do blog e a compreensão de minhas idéias ficarão mais acessíveis a vocês, mulas, que lêem esta merda.

-Chicão, faz um trocinho dos Beatles aí, pra abertura do post.

-Pode deixar, chefia.

À parte, para vocês:

– Ele me trata por “chefia” rsrsrs

Portanto, vamos lá:

Os Beatles, em sua formação original

-Chicão.

-Fala, chefia.

-Ficou uma bosta, isso. Não tem nada a ver! Los Beatles? E essa bandeira dos Estados Unidos? Que que tem a ver? E você ainda cortou a cabeça do Paul.

-Quer que eu faça outra?

-Não, não, num precisa, tamo atrasados já.

-Bom, você que sabe.

-Não, pode deixar assim. Mas ficou muito ruim, parece que você só recortou a capa de um disco ou coisa assim. E ainda recortou MAL.

-Se quiser eu faço outra.

-Não, pode deixar, agora já foi.

Chicão sai e fecha a porta. Rafael, para si mesmo:

-Formação original… puta que pariu – gritando em direção à porta fechada – SÓ TEVE UMA FORMAÇÃO! – para si mesmo, novamente – Puta que pariu…

Bem, Aí estão os quatro Beatles Ringo, John, George e Paul.

Agora a pergunta que fica é:

Qual o beatle mais legal? Qual o melhor álbum da banda?

São estas perguntas que pretendemos responder, ao longo deste pequeno texto que já se alonga for no reason.

RINGO STARR

O pior beatle

Ringo Starr, como a legenda já diz, é o pior beatle. Se o seu beatle predileto é o Ringo, então, meu amigo, você é um ser humano reprovável. Se você conhece alguém cujo beatle favorito seja o Ringo, afaste-se dessa pessoa! E não me venha com essa de que era ele quem segurava a barra, que era o mais legal, que ficava brincando, sem essa, SEM ESSA! Beatle bosta, Ringo Starr.

-Manda mais um beatle, Chicão!

PAUL MCCARTNEY

O beatle abobado

Paul McCartney é o beatle mais abobado, isso é de conhecimento geral. Morreu, e ressuscitou para se tornar, anos mais tarde, uma velha chata. Todo mundo vai dizer:

-Ei, mas e a indelével parceria Lennon/McCartney, que abalou os anos 60?

-‘Indelével’? ‘Abalou’? Olha, seja com quem você estiver andando, é bom você parar, porque você tá falando que nem um babaca.

QUE NEM UM BABACA. Mas vamos lá. Claro, o Paul fez umas musiquinhas legais, claro. Hey Jude, quem não gosta (apesar de exagerar no lalala)? When I’m Sixty Four, Eleanor Rigby, Let It Be, sim, claro, legalZINHAS. Teve lá sua carreira solo de MODERADO sucesso. Pelos hits: Live And Let Die, Maybe I’m Amazed, sim, claro, muito boas.

Mas e o Paul em pessoa? Mesmo sendo o primeiro a morrer, é o único remanescente do Fab Four (sem contar o peso morto) e ainda continua enchendo meu saco. Disse outro dia que foi o responsável por politizar os Beatles. Daqui a pouco vai dizer também que escreveu Imagine e mandou pro John. Espera a Yoko morrer, pra ver o que essa velha chata não vai arrumar.

Mesmo assim, a velha chata teve seus momentos. Tudo bem. Legal. Tá lá, no nível de um PEARL JAM, de um ERIC CLAPTON, de um SAMUEL ROSA. Tá bom assim pra vocês?! He’s good, he’s good… Good, but not great.

(O medley final do Abbey Road é excelente, isso eu concedo, ISSO EU CONCEDO, SUA VELHA CHATA FILHA DA PUTA).

-Chicão, desce um beatle aí pa nóis!

JOHN LENNON

O melhor beatle

Geralmente as discussões ficam em quem era o melhor: Paul ou John? A resposta é simples: John. Não precisa nem justificar. Só dizer “John” e se a pessoa reclamar, você fala “Nossa, cala a boca, voce tá falando merda”, e se ela ficar brava, você diz “Let It Be é uma bosta” e se ele for burro o bastante pra puxar Yesterday, você fala “Essa música é uma merda. Bob Dylan fazia baciada de músicas melhores em 63”. É isso que você faz! Depois você mete a mão na cara desse filho da puta que gosta do Paul! Desce um murro na cara desse filho da puta, bem na boca. Depois no olho. E joga bebida na cara dele (vocês tão num bar) e quebra uma garrafa daquela merda de Itaipava na cabeça do desgraçado! Cerveja ruim do cacete! Doce pra caralho! Que aconteceu com a Itaipava? Antes era aquela sensação, uhhh, a cerveja de Petrópolis, a melhor água do Brasil! Pau no cu de Petrópolis! Foda-se tudo! Na saída você ainda dá um chute BEM NO CU do garçom filho da puta que finge que não vê! Desgraçado, desgraçados! Mundo de merda! Pega o carro, engata a ré e mete essa porra pra cima do Uninho que parou colado atrás, pensando que cabia. CABIA NADA! Então você liga o rádio, e tá lá tocando Instant Karma e você “Puta que pariu, o John é muito melhor que o Paul”, e isso que você não vai nem puxar as grandes armas, como Imagine, Mind Games, Happy Xmas, Jelous Guy… Você deixou barato praquele filho da puta, você sabe disso. Ele merecia nada menos que MORRER por gostar mais do Paul! Matar aquele filho da puta, depois violar seu corpo no meio do bar não, não, não, cara. Não. Que é isso?

Aí, não.

Não, nada a ver.

Aí eu já to achando meio estranho.

Vamos com calma.

Calma.

Calma.

Não acho que a gente deva se ver de novo.

Falou.

(Cara estranho…)

GEORGE HARRISON

Meu beatle favorito

Pronto, agora, sim. A beleza sutil e simples do George é insuperável.

Como é concebível que um ser humano escreva Something e Here Comes The Sun para o mesmo álbum? O Abbey Road, não por acaso, é o melhor disco dos Beatles.

E NÃO TEM DISCUSSÃO.

PRAS SAIDEIRAS

Vou contar uma história que eu lembrei agora que não tem nada a ver com o post: quando eu falei que um maluco era chato.

Ele era um cara aí, que por circunstâncias, estava na casa do Renê conosco. Por circunstâncias, éramos simpáticos com ele. Mas, estruturalmente, era um puta maluco chato. Nossa simpatia aparentemente foi confundida por bajulação pelo ego descomunal (e injustificado) do nosso convidado. Somente eu continuei na empreitada da boa-vizinhança. Infringindo direitos autorais por meio do bluetooth dos nossos celulares, trocávamos músicas e opiniões sobre o assunto. O cara era chato demais, e começava a subir-lhe a cabeça que ele era o escolhido por Deus para educar o povo da Terra. Ele falava, falava. Eu não sou um cara irritadiço, não. Eu sou um cara calmo. Ele falando. Eu sou um cara calmo. Eu sentado, com as pernas abertas, segurando a cabeça entre as mãos, enquanto ele falava, falava. Então eu levantei a cabeça, o encarei, estendi a mão direita em sua direção, com o dedo indicador em riste:

-Cara, você é chato.

Ele sorriu, sem entender, ergueu as sobrancelhas.

-Você é chato, é isso – eu quase me justificava – você é chato.

Então eu me senti bem, mais leve, como uma pluma, levantei e fui buscar uma cerveja, tranqüilo, em paz e harmonia com o Universo! Ah, aquele maluco chato era passado! E continua sendo! Ah! Paz na Terra para os homens de boa vontade!

MORAL DA HISTÓRIA:

Não sejam babacas! Sejam pessoas legais! Amem seus amigos! Especialmente se vocês forem meninas gostosas! Especialmentemente se forem minhas amigas! Mas eu tenho amigas gostosas? Tenho nada. Tá malz o negócio. Tem uma ali com um rabo que não é de se jogar fora, outra com uns peitinhos apetitosos, mas nada que faça alguém dizer “Nossa, olha como o Rafael tem amigas gostosas”, não, nada nesse sentido.

ORAL DA HISTÓRIA:

Minas que não chupam pau não merecem respeito.

E NÃO TEM DISCUSSÃO.

-Não é?

-O-opa, chefia!

5 Comments

Filed under Beatles, Bunda, Maluco chato, Peitos, Putaria e abominação, Seres Humanos Reprováveis, TL;DR, Traveco

5 responses to “Los Beatles

  1. juliana

    hauhauhauh eu acho que me lembro dessa história do cara chato que não parava de falar!

    Bom post, hein!

  2. mano.
    vai tomar no cú.

    perdi a vontade de comentar sério enquanto respondia o questionário de ‘nome’ e ‘e-mail’.
    morra.

  3. Évora

    John é foda e eu mereço respeito.

  4. Pingback: Balanço « Rafael Zanatto

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s