Monthly Archives: June 2010

Voyeurismo

Olá, ouvintes do meu blog! Hoje eu vou falar rápido pois to com pressa!

Não postei ontem, segunda, porque foi jogo do Brasil, e quando fui ver, tinha me embriagado! Cheguei em casa, peguei um cobertor e dormi no chão da sala! Não sei de onde eu tirei essa idéia.

Bom, mas hoje não vamos falar sobre mim, não, hoje não! Hoje, o papo é sobre você, sua gostosa, que fica se trocando com a janela aberta! Isso! Hoje falaremos sobre

VOYEURISMO – Por que violar a privacidade alheia é tão legal?

Eu acho o máximo observar as pessoas, e é isso que eu faço sempre que posso. Tenho meu binóculo bem aqui no meu colo, e toda luz que se acende nos prédios aqui da frente eu já corro pra verificar se há alguém nu. Homens, mulheres e crianças, o importante é ver alguém pelado!

(Mentira, Policia Federal)

No metrô, uhmmm, no metrô. Ficar checando aquela bundinha da morena que está de pé bem ao seu lado, e você lá, sentadão no assento reservado a idosos, só infringindo o senso comum e fazendo pouco dos bons costumes! Uhm, que vontade de morder aquela bundinha! E olha que não é calça jeans! Não! É de um tecido bem mais leve, e por isso mesmo você consegue quase sentir aquela bundinha na sua língua. Observa os movimentos de onda que explodem naquele traseiro magnífico sempre que ela se mexe e remexe aquela maravilha que Deus criou só pra você, amigão, que tá no assento de idosos. A bunda chacoalha e treme, no tecido fino você vê a bunda em desespero, louca por um pouco de carinho e atenção! Ah, que delícia que é uma bundinha!

Voyeurismo invertido: eu me masturbo e você olha!

GOSTEI DESSA

Então fica olhando!

HISTORIETA Nº 1

Ela mal sabe que a janela do meu banheiro dá pro apartamento dela, ela nem desconfia. E o ângulo é perfeito, vejo de cima pra baixo, uma vista privilegiada do seu quarto, e ela entra de roupão, se preparar pra entrar no banho. Uhm, meua migo. Ela Tira o roupão e anda de calcinha e sutiã, pega o telefone e faz ligações enquanto observa o mundo lá fora pelo vidro. Ela acha que o vidro esconde, mas ele revela aquele corpinho em trajes mínimos, e eu, através do vitrô, vejo tudo, enquanto ensabôo meu saco. Coisa fina.

Ela vai pro banho e depois de um tempo volta, agora com a toalha na cabeça. Eu que não sou bobo nem nada e ainda por cima odeia a natureza, to lá ainda, tomando minha chuveirada e insistentemente ensaboando meu saco.

Bate o cabelo e começa a passar fio dental. Nunca vi ninguém passar tanto fio dental na vida. Quantos dentes ela tem? 40? O negócio não acaba nunca, e meu saco já está cansado de ser ensaboado!

Ela acaba, caminha de roupão, procura roupas, muita apreensão do lado de cá, ela veste a calcinha ainda de toalha, meu saco já se ensaboa sozinho, ela tira a toalha e ah, ah, os peitinhos joviais agora livres! Que coisa mais maravilhosa, eu agradeço a Deus, meu saco agradece a Deus, e meu pênis se lavanta meio sonolento “Que que foi aí?”

Ela se observa no espelho do armário e nesse momento todos olham juntos, uma corrente pra frente do amor. Ela se observa, vira de costas e olha a bundinha na calcinha, admirando a si mesma. Neste momento, eu, meu saco, meu pênis, o chuveiro, Deus e até o vitrô se abraçam e comemoram como se fosse final de Copa do Mundo e o Baggio tivesse mandado a bola lá na arquibancada! O sabonete escapa da minha mão e dá uma cambalhota ao entrar no campo. Que coisa linda de se ver! Agora é só comemorar!

HISTORIETA Nº2

Esta historieta é pra fazerem rubras as caras dos mais safadinhos dos clérigos!

O que tem um rapaz senão seu ímpeto insaciável por mulheres e masturbação? Tirando isso, não sobra muita coisa! E colocando isso, ele é completo. Completo, pois, era o jovem na ponta dos pés, dentro do banheiro, observando lá fora sua prima que, nesta bela tarde de sol estava só de biquíni, no jardim que resplandecia como se Deus existisse mesmo. Mas ele não existe, pois, se existisse, não permitira se suceder o que se sucedeu.

Numa precipitação de pura loucura, o rapaz subtrai secretamente o protetor solar de sua prima e corre para o banheiro, com as calças já em chamas. Na ponta dos pés, saca a pistola e vê sua prima, sangue do seu sangue, semi-nua no jardim. Que coisa linda é o incesto, não é? Não há nada mais belo, na minha opinião, especialmente se você tiver uma irmã muito gostosa (como eu) (quer dizer, é irmão) (mas vale mesmo assim) (seus caretas, não me julguem!). Aquilo pode ser facilmente identificado como um crime, pelo menos na minha opinião. Sem conseguir possuir sua prima, o rapaz se dá por contente por abrir seu protetor solar e, na hora derradeira da punheta, mirar seu nobre jato dentro do frasco. Uma fantasia levada a cabo, e uma das mais estranhas. Então ele volta, abrandado, ao jardim, e deposita o protetor solar fecundo ao lado da espreguiçadeira de sua prima e observa, só observa, conta os minutos e segundos para que ela, sem saber, lambuze-se com o esperma de seu primo, o maníaco.

Abraços, e vejo vocês quando menos esperarem!

4 Comments

Filed under Bunda, Duplo sentido, Gay's the way, Incesto, Mulheres gostosas, Não foi bem assim, Pedofilia é crime, Peitos, Punheta, Putaria e abominação, qq isos morena, Que papo é esse?, Seres Humanos Reprováveis

Ressaca

Estou de ressaca.

Ressaca é uma maravilha, eu adoro, eu nasci pra estar de ressaca. De ressaca, sou possuído por um bom humor renitente que puta que pariu, viu. Otimismo indemovível! Ontem enchi a cara, na hora eu não sabia, mas estava bem bêbado. Quer dizer, eu suspeitava. Comecei a suspeitar quando já não conseguia abrir os olhos direito. Primeiro pensei que fosse de sono, mas quando notei que estava tomando um copo atrás do outro por 4 horas, aí o Rafaelzinho pensou dentro de mim Bom, vai ver eu to bêbado.

Rafael Fini e eu discutíamos com freqüência excessiva o que era melhor, álcool ou maconha. Ele advogava o último, e eu o primeiro. Eram discussões ferozes, bem elaboradas e estéreis. Eu sempre gostei do álcool, e isso nunca foi segredo pra ninguém. Eu apóio o consumo desmedido de bebida, e acho que ela nos proporciona a chance de fazer merdas que, em sã consciência, não ousaríamos nem pensar. E, como todo mundo sabe, groselha é o combustível da vida. Na verdade, nada a ver isso que eu falei, mas se pá sei lá.

Quando estou bêbado geralmente tenho uma clareza, observo tanta coisa – como o cara, ontem, vendendo cocaína no balcão do bar. Que papo era aquele?! E o negão gay me encarando quando fui pegar cerveja? Velhos jogando sinuca com prostitutas. Bêbados de todos os tipos. Decadência cívica, moral e estética. E pior que não paguei nada. Foi mancada isso? Se pá foi. Nossa! Lembrei agora: comi no McDonald’s na volta! A-ha! O lanche da Copa, da Itália! Uhm, que delícia! Foi delicioso mesmo! Comecei a comer na Vergueiro e fui terminar só na Anchieta. Demorou um século aquele lanche! E foi uma delícia, do início ao fim! Dirigindo alcoolizado e com um lanche na mão! Como diz o Dexter, o serial killer, num dos únicos episódios que eu vi,

The problem with eating and driving, which I love to do, is not being able to employ the 10-2 hand position on the wheel. It’s a matter of public safety. But there’s always a sacrifice.

Outra coisa que eu gosto, adoro, é chegar em casa com o dia claro. É uma sensação tão forte de dever cumprido. Tem gente que não gosta, que se sente incomodado. Eu, por mim, viraria dias e mais dias. Eu gosto de encher a cara, aliás, por esse potencial enorme de quebrar a corrente dos dias. Sóbrio, chega uma hora que você fala Xixi e cama. Já bêbado, a chance da rotina ser quebrada é enorme. Não que eu não goste de uma rotina, eu gosto, mas acho uma maravilha qualquer variação, especialmente quando é sem sentido. Eu sou um cara que odeia quase tudo, eu odeio mesmo, mas adoro alguma coisa sem justificativa, totalmente irracional.

Igual esse cara que eu conheci. Ele disse que não colocava açúcar no café. Eu já fiquei bravo, pensando se tratar de mais uma pessoa saudável. Disse que nem doce comia. Comia nada, nem chocolate, nada. Simplesmente não consumia açúcar nenhum. Eu já estava pronto pra dar-lhe um murro naquela cara saudável natureba dele, mas perguntei Por que você faz isso? Então ele disse Bom, um dia eu cheguei e falei “Não vou comer mais açúcar”… e nunca mais comi! Aí eu fui obrigado a aplaudir sua decisão e dar-lhe um abraço. Genial! Genial! É disso que o mundo precisa! De idéias cretinas levadas a cabo!

Eu, por exemplo, tenho várias. E não gosto de critérios como necessidade ou, pior ainda, utilidade para definir minhas prioridades. Gosto de pensar que tudo que eu faço é puramente gratuito, sem razão nenhuma. Só pra ver no que vai dar. Claro que não é tudo, mas geralmente eu gosto de pensar assim.

Estou com dor de cabeça. Tem um engov aqui na minha frente, me paquerando já faz algumas horas, mas eu não quero queimar meu último engov com essa dorzinha de cabeça passageira. Quero guardar para um momento de crise. Dizem que, a melhor maneira de evitar a ressaca, é permanecer bêbado. Não chega a tanto, você não precisa ficar bêbado, mas uma cerveja com certeza aplaca a ressaca. Verídico.

Ressaca pode ser um sofrimento, também. Lembro outro dia, enchi a cara, acordei pra ir pra aula, perdidinho, meu celular sem bateria, eu não fazia idéia da hora. Peguei o carro, fui pra Puc. Esperando o semáforo abrir pra atravessar a Consolação, cutuquei uma loirinha bonitinha Oi, sabe que horas são?, e ela Oito e vinte e eu Puta que pariu. Cheguei mais de uma hora adiantado. Pensei Bom, tudo bem, eu sento, tomo um café, estava em pleno bom humor, de ressaca, claro, claro! Assim que me vi com tanto tempo em minhas mãos, fui esmagado pelo enjôo e pela dor de cabeça. Meu Deus. Sofri, sofri demais.

Outro dia de ressaca brilhante foi num maravilhoso domingo de sol, que acordei num bom humor desgraçado e tinha jogo do Corinthians, ainda por cima. Corinthians e São Paulo, aquele que foi 1 a 1, com o gol do Ronaldo, que o André Dias recuou demais e o Bosco cagou em cima. Não sei por que, tinha um monte de gente aqui, vimos o jogo em pura alegria. Eu estava radiante. O jogo acabou, Wilson, são-paulino irremediável, passou o braço envolta do meu pescoço e disse, viciously, Vamo comemorar esse empate!! Saímos e fomos pro bar. Era uma tarde quente e indolente. Lembro-me com detalhes de praticamente tudo.

Isso é uma coisa doida: quando bebo ou estou de ressaca, geralmente tenho uma clareza na memória impressionante. Às vezes eu me acho um tarado por lembrar de detalhes excessivos, ou dar uma atenção e significação violenta pras coisas.

…ué! Vai ver eu sou um tarado mesmo!

Leave a comment

Filed under Capitalismo, Putaria e abominação, qq isos morena, Ressaca

Nudez – como, quando e onde

Olá, meus amores. Tudo bem?

Hoje vamos falar de um assunto importantíssimo. Hoje é dia de falar sobre

NUDEZ – como, quando e onde

Muito bem, muito bem! Quando eu penso em nudez, eu lembro da vez em que era reveillon, e estávamos bem alcoolizados na praia. Especialmente meu primo, que decidiu subir o prédio todinho de escada, completamente rebelde, e acabou conseguindo estourar o dedão no degrau. Entrou em casa fora de controle, sangrando, deitou-se na minha cama, acordou todo mundo, e eu disse, bem baixinho Ei, ow, você tá na minha cama, ele então se levantou, fúria plena, arremessou meu pijama na minha cara e, totalmente contrariado, foi dormir na sua própria cama – sem nem escovar os dentes!

os hamsters estão em alta neste blog

Então você diz:

-Mas Rafinha, que que isso tem a ver com nudez?

E eu digo:

-Deeeeeeeixa eu continuar a história, oooowwww!!!!! ME DEXA! Deixa eu viver minha vida e contar minha história!

Pois bem, a fera foi domada e meu primo acabou indo dormir. Foi então que o resto da galera que estava alcoolizada na praia (eu, Nando, namorada do Nando e irmã do Nando) entramos no banheiro, todos, pra confabular e encontrar uma solução para a aparentemente irremediável bebedeira que acometia gravemente Nando. Menino tava parecendo uma boneca de pano. Foi combinado o seguinte: Nando e eu entraríamos no chuveiro (de roupas, fique claro), enquanto as meninas ficariam do lado de fora. Nando era puro sorrisos. Lá fora, a irmã do Nando disse Ó, vou fazer xixi, não olha.

Então…

O QUE É NUDEZ?

O que é nudez?

É um umbigo? Não, que merda de nudez!

Um mamilo? Talvez, talvez.

Já eu apostaria na boa e velha ausência total de roupas.

E aí você diz:

-Mas Farinha, e –

Farinha?

FARINHA QUAL O SENTIDO DISSO?

-Ai, não sei, inverti

Sai daqui! Sai sai sai daqui!

Pffffff!!

Bom, voltando à programación normal:

O QUE É NUDEZ?

Um mamilo talvez não seja o suficiente para configurar nudez. Mas e a ausência total de roupas no tronco, o que seria?

O famoso termo topless geralmente é aplicado às mulheres, porque não tem graça nenhuma ver um homem descamisado. Um homem, sem camisa, pode ser considerado semi-nu – especialmente se estiver numa reunião da Liga das Senhoras Católicas. Já uma mulher sem camisa é imediatamente considerada muito gostosa, especialmente se ela for muito gostosa. Se ela for mais ou menos gostosa, ainda assim alguns hão de dizer Nossa, lembra quando aquela mina tirou a camisa? e você vai ter que falar Mano, mó gordinha, mó bosta e ele, sendo um idiota como costuma ser Não, puta peitão e você, voz da razão Aquela peitaria era gordura pura. Então, papo encerrado!

Mas, seria considerado um mero semi-nu uma pessoa, como dizem na gíria da masturbação virtual, bottomless?! Aí eu já considero um nu, mas um belo nu, especialmente se a mina for gostosa. Se for a gordinha dali de cima, eu só pegaria um pano de chão, jogaria pra cima dela Se cobre aí, to comendo.

Muito bem.

CONCLUSÃO

A nudez é sempre válida quando a pessoa em questão é gostosa. Se for uma gordinha, melhor parar por aí que eu to comendo.

QUANDO A NUDEZ É PERMITIDA

Na praia, as crianças podem correr nuas. Assim como em confessionários e atrás dos altares. Já os adultos: quando lhes é permitido ficarem nus? Eu, por exemplo, sou totalmente permissivo, e por mim todos andariam por aí nuzinhos da silva. Eu mesmo já estou sem a calça, com a janela aberta, abanando minhas vergonhas para todos os que passam na rua. E eles abanam de volta. São Bernardo é uma festa.

A nudez costuma ser permitida apenas entre quatro paredes, entre duas pessoas. O que não deixa de ser careta. A nudez, creio eu, deveria se estender aos encontros casuais entre pessoas saudáveis e em forma, sempre que possível. Eu, claro, toparia ver qualquer pessoa nua. Pode pensar em alguém aí. Pensou? Eu veria nu! Totalmente nu! Mas por quê?

POR QUE RAFINHA?

Por pura curiosidade, po! Você não gostaria de, por exemplo, dirigir uma Ferrari, pra ver como é?

CLARO

Não gostaria também de, digamos, disparar um revólver, só pra sentir how it feels like?

SURE

Fumar crack, só por curiosidade?

É AÍ JÁ ACHO QUE N-

E, da mesma forma, não gostaria de espancar um mendigo, pra ver como ele morre?

BEM NÃ-

E fazer sexo com uma criança?

NÃO TO COMEÇ-

Matar e violar um macaco?

PORR-

Enfiar um copo no cu?

AH BOM ISSO AGORA JÁ É MAIS NORMAL

Não é?

É QUER DIZER AQUELAS COISAS QUE VOCÊ TAVA FAL-

Não é?! É normal, pura curiosidade! Eu faria essas coisas todas. Não apenas faria, como estou fazendo agora mesmo (esse macaco não morre). Tudo perfeitamente normal.

[Envie sua foto de nu frontal para rafaelzanatto@gmail.com e ela será publicada aqui! Não perca esta oportunidade!]

Que mais? Sobre o que mais vocês querem ouvir, criançada?

-Sobre quando ficar nuuuuuuuuuuuu!

Opa, boa!

QUANDO FICAR NU?

Nunca perca uma oportunidade de ficar nu, é isso que eu digo. Uma boa dica para quem quer ficar nu é encher a cara. Tome todas e tire a roupa. Você dificilmente ponderará sobre a possibilidade de tirar a roupa uma vez alcoolizado. Com o álcool, as pessoas tendem a ficar espontâneas e receptivas. Então, embebede todos seus amigos e, chegada a hora, tire toda sua roupa. Logo eles repetirão seu gesto e aí você vai estar a um passo de uma suruba homossexual com seus melhores amigos. Melhor impossível.

Agora, num relacionamento 1 x 1, as coisas já são diferentes. Se forem dois homens gays, então tirem a roupa assim que se virem a sós e pulem um no pau do outro, já que vocês são bichas e promíscuos, portadores e propagadores do vírus da Aids, a praga gay.

Aviso a todas as crianças que estão lendo isto: não andem com gays. Se algum amigo seu apresentar um comportamento afeminado e sensível, afaste-se dele. Lembre-se: Deus odeia gays.

Aviso a todas as crianças gays que estão lendo isto: crianças gays, dirijam-se à minha casa assim que acabar a aula. Tenho doces e refrigerante para todos. Lembre-se: Gay’s the way!

Agora, um relacionamento 1 x 1 entre duas mulheres. Olha, só de falar nisso já me dá uns calores. Vamos fazer assim:

Public displays of affection: sou totalmente a favor!

Public displays of nudity: idem!

A não ser, claro, que você seja uma daquelas lésbicas gordas e másculas. Não que eu tenha alguma coisa contra lésbicas gordas e de cabelo curtinho com gel – eu só não quero ver vocês peladas. Quer dizer, eu veria, mas EU HEIN.

Agora, o relacionamento que Deus convencionou chamar de convencional: o 1 x 1 entre homens e mulheres.

Bom, aqui a história é diferente. Vocês viram que nos relacionamentos homossexuais, tudo era muito fácil, pois se tratavam de dois seres humanos do mesmo gênero. Agora, um de cada lado, a coisa fica diferente. Cada um tem uma forma de proceder.

Mulheres: fiquem nuas à vontade, todo mundo vai sair ganhando. Se seu adversário for uma pessoa com o mínimo de discernimento, provavelmente ele se jogará (como eu me jogaria) numa cambalhota maravilhosa para cair aos seus pés, de joelhos, abraçando seu quadril e dizendo God be blessed in the highest o que não faz sentido mesmo, mas não se pode exigir muita coesão de um homem arrebatado pela beleza do sexo feminino.

Agora, o outro lado da moeda.

Homens: aja com calma. Não se afobe. Tire o cinto, no máximo. Em momento algum tome a dianteira e dispa-se antes da menina. Mantenha a calma. Ninguém quer ver um cara pelado. Não. Nem ela. Ela quer, no máximo, fazer sexo. No máximo! Te ver pelado, ninguém quer. Só você. E isso é meio estranho da sua parte. Então, assim que ela estiver totalmente despida, tire suas roupas desordenadamente, mas lembre-se de manter suas meias nos pés. Caso ela apresente alguma objeção, é só dizer This is how I roll. Se ela não quiser mais nada, azar o dela, amigão! Você tem você e suas meias, e não precisa de mais ninguém. Levante da cama e saia andando de pau duro, totalmente inapropriado, mas Deus sabe, Deus tá vendo, ele sabe, ele sabe que você é demais, você, seu pau duro, e suas meias calçadas nos pés.

4 Comments

Filed under Gay's the way, Mulheres gostosas, Não foi bem assim, Pedofilia é crime, Peitos, Punheta, Putaria e abominação, qq isos morena, Que papo é esse?, Seres Humanos Reprováveis