Ressaca

Estou de ressaca.

Ressaca é uma maravilha, eu adoro, eu nasci pra estar de ressaca. De ressaca, sou possuído por um bom humor renitente que puta que pariu, viu. Otimismo indemovível! Ontem enchi a cara, na hora eu não sabia, mas estava bem bêbado. Quer dizer, eu suspeitava. Comecei a suspeitar quando já não conseguia abrir os olhos direito. Primeiro pensei que fosse de sono, mas quando notei que estava tomando um copo atrás do outro por 4 horas, aí o Rafaelzinho pensou dentro de mim Bom, vai ver eu to bêbado.

Rafael Fini e eu discutíamos com freqüência excessiva o que era melhor, álcool ou maconha. Ele advogava o último, e eu o primeiro. Eram discussões ferozes, bem elaboradas e estéreis. Eu sempre gostei do álcool, e isso nunca foi segredo pra ninguém. Eu apóio o consumo desmedido de bebida, e acho que ela nos proporciona a chance de fazer merdas que, em sã consciência, não ousaríamos nem pensar. E, como todo mundo sabe, groselha é o combustível da vida. Na verdade, nada a ver isso que eu falei, mas se pá sei lá.

Quando estou bêbado geralmente tenho uma clareza, observo tanta coisa – como o cara, ontem, vendendo cocaína no balcão do bar. Que papo era aquele?! E o negão gay me encarando quando fui pegar cerveja? Velhos jogando sinuca com prostitutas. Bêbados de todos os tipos. Decadência cívica, moral e estética. E pior que não paguei nada. Foi mancada isso? Se pá foi. Nossa! Lembrei agora: comi no McDonald’s na volta! A-ha! O lanche da Copa, da Itália! Uhm, que delícia! Foi delicioso mesmo! Comecei a comer na Vergueiro e fui terminar só na Anchieta. Demorou um século aquele lanche! E foi uma delícia, do início ao fim! Dirigindo alcoolizado e com um lanche na mão! Como diz o Dexter, o serial killer, num dos únicos episódios que eu vi,

The problem with eating and driving, which I love to do, is not being able to employ the 10-2 hand position on the wheel. It’s a matter of public safety. But there’s always a sacrifice.

Outra coisa que eu gosto, adoro, é chegar em casa com o dia claro. É uma sensação tão forte de dever cumprido. Tem gente que não gosta, que se sente incomodado. Eu, por mim, viraria dias e mais dias. Eu gosto de encher a cara, aliás, por esse potencial enorme de quebrar a corrente dos dias. Sóbrio, chega uma hora que você fala Xixi e cama. Já bêbado, a chance da rotina ser quebrada é enorme. Não que eu não goste de uma rotina, eu gosto, mas acho uma maravilha qualquer variação, especialmente quando é sem sentido. Eu sou um cara que odeia quase tudo, eu odeio mesmo, mas adoro alguma coisa sem justificativa, totalmente irracional.

Igual esse cara que eu conheci. Ele disse que não colocava açúcar no café. Eu já fiquei bravo, pensando se tratar de mais uma pessoa saudável. Disse que nem doce comia. Comia nada, nem chocolate, nada. Simplesmente não consumia açúcar nenhum. Eu já estava pronto pra dar-lhe um murro naquela cara saudável natureba dele, mas perguntei Por que você faz isso? Então ele disse Bom, um dia eu cheguei e falei “Não vou comer mais açúcar”… e nunca mais comi! Aí eu fui obrigado a aplaudir sua decisão e dar-lhe um abraço. Genial! Genial! É disso que o mundo precisa! De idéias cretinas levadas a cabo!

Eu, por exemplo, tenho várias. E não gosto de critérios como necessidade ou, pior ainda, utilidade para definir minhas prioridades. Gosto de pensar que tudo que eu faço é puramente gratuito, sem razão nenhuma. Só pra ver no que vai dar. Claro que não é tudo, mas geralmente eu gosto de pensar assim.

Estou com dor de cabeça. Tem um engov aqui na minha frente, me paquerando já faz algumas horas, mas eu não quero queimar meu último engov com essa dorzinha de cabeça passageira. Quero guardar para um momento de crise. Dizem que, a melhor maneira de evitar a ressaca, é permanecer bêbado. Não chega a tanto, você não precisa ficar bêbado, mas uma cerveja com certeza aplaca a ressaca. Verídico.

Ressaca pode ser um sofrimento, também. Lembro outro dia, enchi a cara, acordei pra ir pra aula, perdidinho, meu celular sem bateria, eu não fazia idéia da hora. Peguei o carro, fui pra Puc. Esperando o semáforo abrir pra atravessar a Consolação, cutuquei uma loirinha bonitinha Oi, sabe que horas são?, e ela Oito e vinte e eu Puta que pariu. Cheguei mais de uma hora adiantado. Pensei Bom, tudo bem, eu sento, tomo um café, estava em pleno bom humor, de ressaca, claro, claro! Assim que me vi com tanto tempo em minhas mãos, fui esmagado pelo enjôo e pela dor de cabeça. Meu Deus. Sofri, sofri demais.

Outro dia de ressaca brilhante foi num maravilhoso domingo de sol, que acordei num bom humor desgraçado e tinha jogo do Corinthians, ainda por cima. Corinthians e São Paulo, aquele que foi 1 a 1, com o gol do Ronaldo, que o André Dias recuou demais e o Bosco cagou em cima. Não sei por que, tinha um monte de gente aqui, vimos o jogo em pura alegria. Eu estava radiante. O jogo acabou, Wilson, são-paulino irremediável, passou o braço envolta do meu pescoço e disse, viciously, Vamo comemorar esse empate!! Saímos e fomos pro bar. Era uma tarde quente e indolente. Lembro-me com detalhes de praticamente tudo.

Isso é uma coisa doida: quando bebo ou estou de ressaca, geralmente tenho uma clareza na memória impressionante. Às vezes eu me acho um tarado por lembrar de detalhes excessivos, ou dar uma atenção e significação violenta pras coisas.

…ué! Vai ver eu sou um tarado mesmo!

Leave a comment

Filed under Capitalismo, Putaria e abominação, qq isos morena, Ressaca

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s