A Copa do Medo

Olá, amigos da Rede Globo. Voltamos ao vivo e em definitivo para a transmissão de mais um post sobre masturbação e travecos (fazer o que, se é isso que o povo gosta?).

Mentira! Hoje vamos falar sobre a porra da Copa do Mundo, oras!

Olha lá, olha o título! Fiz até um título de colunista espertalhão de jornal! Opa! Todo mundo ligado para mais esse post!

VOCÊ NÃO TINHA PARADO DE IMITAR O GALVÃO?

É a pergunta do Homem do Caps Locke, de Zurique, Alemanha! O que você acha Falcão?

-Eu acho que futebol não é um exercício de justiça.

Que merda! E você, Casagrande?

-Hããã roubaram a Holanda e eu não vou pagar merda nenhuma do bolão.

É isso aí! E você, Caio Ribeiro, o que achou da final da Copa?

-Foi uma final equilibrada, com duas equipes que têm como principal característica o toque de bola, e a final foi decidida em detalhes.

Belo comentário! Agora, com a palavra, o herói da molecada. Sim, ele:

RAFAEL ZANATTO

Bom, muito bem, amigos da Rede Globo! Mais um post neste blog, e agora, o post final sobre Copa do Mundo – o próximo, só em 2014 (se esse blog estiver ativo em 2014, eu me mato) (me mato e levo todo mundo junto!) (pode cobrar).

A COPA DO MEDO

E agora você me pergunta: Mas Rafinha, pra que um nome tão bobo?

E eu digo: Oras, é porque foi a Copa do Medo. Todo mundo morrendo de medo de perder essa merda. Ninguém queria correr o risco de tomar um golzinho sequer. É uma triste tendência que contaminou profundamente a nossa Seleção, presenteando-nos, brasileiros, amantes da bola, com uma equipe medíocre, baseada em contra-ataques, comandadas por um volante durão. Pura tristeza. Futebol é pra quem entende, e não pra qualquer um.

De todos os times que disputaram, todos estavam nessa onda do medo e do pragmatismo em campo. As únicas exceções foram o Chile do Bielsa, a Alemanha da meninada, e a Espanha do Barcelona. Teve mais algum?

NUM SEI NUM ACOMPANHO FUTEBOL

Ah, vai se foder, como não acompanha futebol?!

AH NUM SEI NUM GOSTO

Vai tomar no seu cu então! Filho da puta!

Isso aí! Chile, Alemanha e Espanha, jogaram pra frente, com vontade, sem abrir mão do seu jogo. O Uruguai também fez uma campanha sensacional, e não abriu mão de seu jogo, também, mas não era uma equipe fundamentalmente ofensiva – apesar de ser uma equipe maravilhosa. Já alguns países traíram sua tradição explicitamente, como Brasil e Holanda. Brasil, claro, é o país do futebol. Pode não ter o melhor futebol atual, mas é nós sabemos qualé que é a do futebol. E não é a do Parreira, nem do Dunga – não! O futebol é uma coisa linda, é como uma menina muito bonita, que você quer só rasgar sua roupa (com consentimento, claro, né pessoal, sempre respeitando a menina) e beijá-la inteirinha, de cima abaixo. E agora você diz: Nossa, não fez o menor sentido isso. E eu digo: É, POIS É!

Mas o futebol, sim, é uma menina muito bonita, que você vê e diz “qq isos morena” e começa a beber, beber sem parar, para aguentar aquela situação, pra conseguir suportar a beleza violenta que aquele ser humano do sexo oposto (nem sempre) irradia, numa forma maravilhosa, manifestação do divino, simplesmente dois braços que você quer tocar, duas pernas que você quer beijar, e uma, uma coisa de louco.

RAFINHA NÃO TEVE MUITO A VER DE NOVO ACHO QUE É MELHOR FALAR SÓ DE FUTEBOL

É verdade, é verdade, desculpa (ofegante). Vamos (pausa) vamos nos concentrar e fazer isso direito. (Coloca a cabeça entre as mãos, sussurra qualquer coisa, e se levanta, como se ninguém tivesse percebido). O futebol é uma coisa maravilhosa, e deve ser executado da melhor forma possível. É uma questão de técnica, tática e habilidade. E não deve, nunca, trair a escola local. A identidade existe e deve ser respeitada. Sem identidade não há consistência, nem, claro, identificação. Torcer para um time de futebol é uma coisa, é uma questão de afinidade, e muitas vezes decorre de um processo irracional (quem torceria pro São Paulo, em sã consciência?). Já uma seleção representa um país, e, como o país, tem sua identidade. Brasil e Holanda traíram suas tradições e apresentaram times artificiais na Copa do Mundo de 2010.

O Brasil todo mundo sabe, foi uma tristeza e se fodeu. A única coisa interessante que o Dunga deixou foi a vontade dos jogadores de jogarem pela Seleção. Já a Holanda, bem, este comercial da Nike para a seleção holandesa diz quase tudo:

Futebol não é total sem vitória” & “Uma derrota bonita ainda é uma derrota

Só essas duas frases já mostram por que essa Holanda de 2010 nunca poderia ser campeã. As duas frases são referentes à Holanda de 74, a verdadeira Laranja Mecânica, que reinventou o futebol e foi vice-campeã daquela Copa, perdendo pra anfitriã, a Alemanha de Beckenbauer, Gerd Müller, Sepp Maier e Paul Breitner. A Holanda tinha um dos maiores times da História, contando especialmente com o craque Johan Cruyff. Perdeu na final, por 2 a 1. Perder a partida pode ter sido justo, o campeonato, não. Mas fazer o quê?

A Holanda de 74 é facilmente uma das maiores equipes da História, e nunca que a Holanda de Kuyt, caso vencesse a Copa da África do Sul, chegaria perto de superá-la. A propaganda da Nike é uma ofensa ao futebol criado na Holanda, e praticado hoje em dia pelo Barcelona. Ao invés de um futebol total, a Holanda de 2010 mostrou só uma carniceria, com o açouguero Van Bommel (que já jogou no Barça, veja só) seu maior expoente. Até Sneijder, que é um bom jogador, participou do futebol medíocre da equipe. Robben, um pequeno foco de criatividade, tentou, mas amarelou vergonhosamente (coisa feia, Robben). E ao invés de uma derrota bonita, foi protagonista da final mais violenta da História das Copas. Ou seja: traindo a sua tradição, a Holanda da comissão técnica mais gay de todos os tempos (o que eram aquelas camisas abertas no peito, e aqueles bronzeados artificiais?!) correu sério risco de vencer a Copa do Mundo, mas teve garantida desde o dia um sua ausência no hall das grandes equipes do futebol. Foi uma aposta tacanha, e eles se foderam.

ESPANHA CAMPEÃ

E a Espanha campeã, foi justo? Porra se foi! Apesar de não ter encantado tanto quanto se esperava, nunca abriu mãos do seu jogo. Perdeu o primeiro jogo, e enquanto um holandês gay bronzeado e com a camisa aberta colocaria dois volantes duros, o vovô espanhol manteve o time e seguiu na competição. Muito se falou por aí de como a Espanha estava jogando o verdadeiro futebol holandês, e é a mais pura verdade. E o título da Espanha é mais legal ainda por ter saído claramente de uma base blaugrana, contando, inclusive, apenas com gols de jogadores do Barça. Tudo bem que o Real Madrid completava a equipe com Xabi Alonso, Sergio Ramos, que jogaram muito bem, especialmente o último. E, claro, o capitão Iker Casillas, portero do Real Madrid há tempo pra caralho, e, de longe, o melhor jogador da equipe quase há tanto tempo.

Ah, e tinha o Capdevilla, que benza Deus, como é ruim!

Mas é catalão. Um a zero pra nós!

FUTEBOL DE QUEM ENTENDE

Quem entende de futebol? Loirinha, você:

-Ahmmm… o Galvão?

Hahaha boa, muito boa! Mas não! Quem entende de futebol é quem sabe jogar bola, quem compreende o jogo e, acima de tudo, quem busca a porteria contrária.

Olha esse Guardiola narrando em catalão, meu deus qq isos josep.

Esse futebol bonito, altamente técnico, de toque de bola, foi uma invenção Holandesa exposta ao mundo em grande estilo na Copa de 74. E depois de 74, esse futebol foi a Barcelona, onde encontrou sua casa, ah que gostoso! Esse futebol de toque de bola é maravilhoso, e todo mundo gosta. Mas não é perfeito. Seus maiores defeitos são a hesitação na hora de chutar pro gol – vocês viram a Espanha perdendo gol ontem, e o Xavi, que é craque mas não chuta. Chuta essa porra Xavi! – e a obsessão por sair tocando. No Barcelona, a falta de arremate é suprida pelo Messinho, que é um verdadeiro tarado da bola, e manda aquela porra pro gol que meua migo! E a obsessão de sair tocando foi o motivo da derrota do Barça pra Inter de Milão do José Mourinho na semi-final da Champions deste ano. Dois gols tomados lá em Milão foram frutos de saídas erradas do Barça, tocando bola na fogueira. Porra, Busquets! Foi você! Eu me lembro muito bem! Você é craque, mas vamos maneirar!!!

Maneiramos.

E assim ganhamos. A Espanha dominou totalmente a Alemanha (que fugiu da sua característica e acabou punida pelo salto impossível do Puyol aos 28 do segundo tempo), e contra a Holanda mandou na partida novamente. O time Holandês era, em sua maioria, grosso. Mas em ações particulares (Sneijder e Robben), lancinante. Não deu, e graças a Deus que não deu. Senão já iam falar que o futebol bonito não compensa! O futebol bonito compensa, e deve ser exercido. Os grossos estarão sempre aí, pra tentar ganhar no peito, mas o futebol bonito prevalece. Sinto muito pelos defensores, mas o verdadeiro futebol está no ataque, e todo mundo sabe disso. Há uma beleza peculiar numa defesa bem executada, mas o fim, o segredo da existência do futebol, está no gol.

FORLÁN O MUSO DA COPA

Forlán não foi eleito o muso da Copa, mas bem que merecia. Além de ser lindo, jogou demais – o que lhe conferiu o título de melhor jogador da competição. Levou o Uruguay ao quarto lugar, isso jogando um futebol que era como Diego Forlán:  forte e gostoso. E lindo rsrs. Lindo foi o desarme feito pelo volante uruguayo, no primeiro gol contra a Alemanha, na disputa de terceiro lugar. Lindo, absolutamente lindo e genial. Os dois volantes da Celeste eram excelentes, mas o talento estava no nosso Diego Forlán, com seu sidekick Luis Suárez.

CONCLUSIÓN

A conclusão é de que o resultado foi justíssimo, e a Holanda, principalmente, mereceu o segundo lugar. Aquele time medíocre teve na posição mais inglória do campeonato sua mais perfeita casa. Espanha campeã coroou o futebol consciente, inteligente e íntegro. Forlán como melhor da Copa foi uma das justiças nunca antes presenciadas no certame.

Resultados à parte, a equipe que mais empolgou nessa Copa foi o Uruguay, e por motivos óbvios. Além do craque, protagonizou o jogo da Copa, junto com Gana. Pena que os africanos ficaram de fora. Mas o esforço por toda a campanha uruguaya culminando na defesa do Luis Suárez no último lance, e depois a vitória nos pênaltis, meua migo, é absolutamente o que é o futebol.

Leave a comment

Filed under cersibon, Futebol, qq isos morena, TL;DR

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s