Pequenas alegrias

Mano, o tempo passa rápido demais. Quer dizer, rapidamente demais, né. Vamos prezar pela nossa língua. Falando em língua, que tal falarmos de sexo oral?

Não, não. Hoje, não. Hoje é um dia para se falar de sentimentos. De emoções. Vamos fazer uma enquete na rua.

-Loirinha,

-Oi.

-Qual foi a vez mais legal que te chuparam?

Por exemplo: não aborde pessoas dessa forma na rua. Primeiro: nem todo mundo está tão disposto assim a falar sobre sexo. Segundo: a frase foi muito mal construída – se for pra abordar estranhos, pelo menos não fale como um completo imbecil.

Falando em completos imbecis, outro dia formulei uma tese de que o sexo oral provém da infância, o que a Polícia Federal obviamente achou muito inapropriado e resolveu apreender meu computador – por isso estou postando da lan house.

Falando em lan house, que tal essas pessoas que se expõe (ficam peladas, quero dizer) em lan houses? Como se se exibir online não fosse o bastante, elas também se exibem num lugar público. Tipo, double trouble. Essas pessoas, por isso eu digo, são o sal da terra.

O que seria do mundo se não fosse o sexo? Do mundo, não sei, mas a internet seria muito mais pacata. Quer dizer,  se não houvesse sexo, haveria maldade? Um soco na cara, muitos dizem, não é sexo – já um soco no cu, o famoso fisting, é considerado uma não, não. Que papo é esse? Hoje o papo não era sobre amenidades, pequenas alegrias?

PEQUENAS ALEGRIAS

Você põe a mão no bolso e encontra uma nota de 10 reais.

Moral da história: o bolso era do rapaz ao lado, e agora você vai usar esse dinheiro pra comprar crack.

*

Está chovendo. Uma menina bonita abre o guarda-chuva e te chama para atravessar a rua.

Moral da história: você não deveria ter saído do lugar, já que você tinha dentista marcado, e a menina só te chamou porque, sei lá, vai ver ela era vagabunda mesmo, mas você não fez nada, então quem vai saber?

*

Você está dirigindo um carro. Estaciona o carro na garagem e entra em casa.

Moral da história: a casa não é sua, nem o carro. Você está fazendo um homem de refém, e, num momento complicado de descrever, dá um tiro em sua mulher, que está grávida e perde o bebê.

Moral da moral da história: você não deveria usar crack. Ou aquele maluco da boca nunca deveria ter dado uma pt na sua mão. Cagada dele.

Crack 2 x 0 Mundo.

*

Sua mãe matou seu pai antes de você nascer. Você não sabia disso e acabou nascendo mesmo assim.

Moral da história: você é muito enxerido, e não é à toa que sua mãe te odeia tanto. Eu também odiaria. Ainda mais com tanta coisa pra se preocupar! E você não vai conseguir ficar muito mais esperto que isso. Ou seja: faculdade, nem pensar.

*

Você tem seis anos e é fã de um super-herói. Chama sua mãe e diz “Olha mãe, eu sou o Batman!” e pula do escorregador, como se soubesse voar.

Moral da história: você não apenas não sabe voar, como não conhece muito bem o Batman. E nem sequer sabe que a roupa que você está usando é do Homem-Aranha. Ou seja: sua mãe fez bem em matar seu pai, e é uma pena que você não tenha caído de cabeça.

*

A primeira flor da primavera desabrocha.

Moral da história: você está muito loco mesmo, porque não é primavera, e nem isso é uma flor. É um copo descartável picotado.

*

Ler um bom livro num domingo à tarde.

Moral da história: você perdeu a página em que seu padrasto estava e ele vai ficar muito bravo quando acordar.

*

Às vezes, a lua lhe provoca emoções que você não sabe explicar.

Moral da história: seu vocabulário é limitadíssimo, e você geralmente classifica tudo como “bacana”.

*

A Bíblia lhe diz para não comer carne de porco.

Moral da história: onde você leu isso?

*

Você derruba uma moeda no chão, quando se abaixa para pegá-la, bate cabeça com cabeça com uma menina linda.

Moral da história: ela ia pegar sua moeda. Aquela puta.

*

Você se senta à mesa do bar, pede o cardápio, escolhe uma cerveja mas, quando levanta os olhos, vê uma menina de curvas sinuosas sentando-se na sua mesa.

Moral da história: não apenas essa mesa já tem dono, como não tem lugar nenhum pra sentar no bar. E mais: você não tem dinheiro e, inclusive, mora na rua, comendo de favor e cagando no canteiro da praça.

*

Um cara encosta a pistola na sua têmpora. Você pensa “Oh-ou”.

Moral da história: tente minimizar os danos.

*

Você chega mais cedo do trabalho e encontra sua mulher na cama com outro homem. E esse outro homem é você.

Moral da história: talvez você esteja dirigindo rápido demais.

*

Você chega à última página de um livro e, sem querer, lê a última frase primeiro.

Moral da história: tome conta dos seus olhos, rapá!

*

Você viu a namorada do seu amigo sem a parte de cima do biquíni e viu que era bom.

Moral da história: dahora. Agora continue escondido no armário até que ela esteja completamente nua e indefesa.

*

Seu amigo viu sua namorada sem a parte de cima do biquíni e viu que era bom.

Moral da história: você está do lado errado dessa história.

*

A namorada do seu amigo viu sua namorada sem a parte de cima do biquíni e viu que era bom.

Moral da história: to de pau duro só de pensar.

*

Seu namorado te viu sem a parte de cima do biquíni e viu que era bom, mas na verdade, calma. Você é gay?

Moral da história: talvez você seja gay.

*

Você começa escrever um romance com forte conotação feminista, pensando que isso lhe vá ajudar com as garotas.

Moral da história: você tem umas idéias tortas mesmo. Quem vai querer ler essa merda? E quem vai querer fazer sexo com você? Já viu quanta caspa você tem? Não tem xampu especial pra isso? Então compra, caralho!

*

Sua cerveja favorita está em promoção.

Moral da história: você faz a velha piada “promoção e pra mocinha?!” pro dono do bar, e ele decide que é uma boa idéia te matar com um pé de cabra.

Moral da moral da história: você não sabia, mas ele fez essa promoção só pra te matar. Então, sua piada não foi a causa disso tudo. Então, você morre com a consciência tranqüila.

*

Depois de uma noite de ótimo sono, você acorda e começa a lembrar de um sonho muito bonito que teve. Neste sonho, você conversa com uma menina simpática, com um sorriso irresistível. Mas, assim que vocês se beijam, você percebe que ela é a sua mãe.

Moral da história: quando você acorda, você está, de fato, dormindo abraçado com a sua mãe mas: plot twist: você é seu pai! Nesse caso, quem é aquele rapaz dormindo no quarto dos fundos?

7 Comments

Filed under Coitado do Manolo, Duplo sentido, Gay's the way, Mulheres gostosas, Pedofilia é crime, Peitos, Que papo é esse?, Seres Humanos Reprováveis

7 responses to “Pequenas alegrias

  1. georgesboris

    hasuehae ô loco. fazia tempo q n lia os bagulhos.
    técnicas novas hein mano! haha

  2. FASM

    “ela ia pegar sua moeda. Aquela puta.” foi boa!

  3. Fernando

    Faltou o: Sua namorada se viu sem a parte de cima do biquíni e viu que era bom.

  4. mind-fucking plot twist

  5. DH

    Texto de depravado!!! No mínimo não sabe o que é o crack…nem a dor de perder algum ente querido…sou a favor da liberdade de expressão…cada um expressa-se como gosta e quer. Mas saiba aceitar uma crítica! Recalque é motivo de tratamento!!!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s